31/08/2020 | INFRAESTRUTURA

Entidades definem como será o futuro Centro de Eventos de Caxias

Documento técnico elaborado em conjunto pelas entidades da Construção Civil foi apresentado na CIC - Foto: Andressa Zanol
Documento técnico elaborado em conjunto pelas entidades da Construção Civil foi apresentado na CIC - Foto: Andressa Zanol

Em reunião realizada na Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC) na manhã desta segunda-feira (31), o Comitê Prático Pró-Construção do Centro de Eventos de Caxias do Sul, formado por várias instituições e entidades da cidade, tomou conhecimento do Programa de Necessidades do Empreendimento, documento técnico elaborado em conjunto pelas entidades da Construção Civil que integram o Comitê (SINDUSCON, SEAAQ, Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura/Núcleo de Caxias e Sala de Arquitetos). O trabalho foi apresentado ao Comitê pelo engenheiro Marcus Vinicius Caberlon e pelo arquiteto Tagir Fatore.

Caberlon explicou que o estudo técnico foi realizado de forma voluntária por um grupo de engenheiros e arquitetos de Caxias, que integram as entidades da Construção Civil e teve como referencial a pesquisa (estudo de demandas) com setores da comunidade que o Caxias Convention Bureau realizou no ano passado. O arquiteto Tagir Fatore explicou que o empreendimento, na sua totalidade, terá uma área de aproximadamente 95 mil m2, distribuídos da seguinte forma: 45 mil m3 para vagas de estacionamento; 8.100m2 para arena multiuso (formada por anfiteatro, arena de esportes e auditórios para eventos); 34.100m2 de espaço para feiras técnicas e 2.300m2 do espaço de convivência (minishopping – praça de alimentação, área destinada à arte e cultura e outros espaços para uso da comunidade).

As áreas potenciais para sediar o empreendimento

Os profissionais da construção civil indicam, inicialmente, três áreas potenciais que consideram compatíveis para a construção do Centro de Eventos: o Parque da Festa da Uva, o Campus 8 da UCS e o terreno junto ao Jockey Clube e Seminário Paulo da Cruz, às margens da RS-122. Os arquitetos e engenheiros desenvolveram o estudo tendo como premissas básicas que o futuro Centro de Eventos de Caxias do Sul seja um complexo para abrigar os mais diferentes tipos e tamanhos de eventos, que seja um centralizador de atividades, âncora para atividades culturais, profissionais e acadêmicas e uma referência na Serra Gaúcha.

Levaram em consideração, ainda, aspectos de sustentabilidade ambiental e urbana, inclusão social e patrimônio da cidade, com identidade na relação com o entorno e contexto da comunidade. Também tomaram como referência importantes centros de eventos existentes em outros estados do Brasil e no mundo, que geram desenvolvimento e sustentabilidade econômica e forte inserção do turismo nas comunidades onde têm sede. O orçamento prévio para construir a obra, sem o custo do terreno, está na ordem de R$ 205 milhões.

Criação de empregos e geração de renda

O presidente da CIC, Ivanir Gasparin, ao exaltar o trabalho realizado através das entidades da Construção Civil, reiterou a importância do Centro de Eventos para inserção definitiva do turismo na matriz econômica de Caxias do Sul, com repercussão em toda a região da Serra Gaúcha, tendo em vista os inúmeros benefícios que trará, entre os quais a criação de milhares de empregos diretos e indiretos, a geração de mais renda e outros benefícios sociais para a comunidade como um todo. “É um grande desafio que temos pela frente”, ressaltou.

O presidente do Caxias Convention Bureau, Valmir Francisco dos Santos, agradeceu e elogiou o trabalho realizado pelas entidades e profissionais da Construção Civil local, salientando que o Comitê, que completou agora em agosto um ano da sua criação, está dando mais um importante passo na viabilização desse empreendimento, que é hoje uma prioridade das principais lideranças da cidade. 

Lei Municipal das PPPs

O próximo passo será a de optar por um dos locais sugeridos ou por outro que venha ser indicado, a partir de análise técnica e entendimento com a Prefeitura para adequação da obra nas condições estabelecidas pelo atual Plano Diretor do Município. O comitê também dará início à busca de recursos financeiros para viabilizar a obra, junto ao Poder Público e a investidores da iniciativa privada. Nesse sentido, o secretário municipal do Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Emprego, Gilnei Lafuente, integrante do Comitê, sugeriu que o Centro de Eventos seja um dos primeiros empreendimentos da cidade a ser contemplado na Lei Municipal das PPPs (Parcerias Público-Privadas), que o prefeito Cassina já submeteu à aprovação da Câmara de Vereadores.

Fonte: Assessoria de Imprensa do Comitê Prático Pró-Construção do Centro de Eventos de Caxias do Sul

Downloads

Outras Notícias