CSS Light Web Gallery

05/02/2020 | REUNIÃO-ALMOÇO

Governador diz que reformas para solucionar a crise e modernizar o RS vão continuar

Eduardo Leite palestrou na CIC Caxias na primeira reunião-almoço de 2020 - Foto: Julio Soares/Objetiva
Eduardo Leite palestrou na CIC Caxias na primeira reunião-almoço de 2020 - Foto: Julio Soares/Objetiva

Ao palestrar para um público de aproximadamente 430 pessoas durante a reunião-almoço que a Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC) realizou nesta quarta-feira (5), o governador Eduardo Leite explicou por que foi necessário fazer a reforma dos servidores civis, cujo impacto será de R$ 18 bilhões em 10 anos, e expôs o atual cenário fiscal do Rio Grande do Sul. “Estou obstinado e dedicado a resolver a crise, e não mais apenas a conviver com ela. Estamos agindo e enfrentando com ações que o peso e o tamanho desta crise nos exigem, e isso nos dá confiança em relação ao futuro. Temos um passado que nos orgulha, mas não vivemos de passado, vivemos de futuro, e o Rio Grande do Sul apresenta um futuro muito melhor para todos”, evidenciou o governador.

Entre as medidas para tornar o estado mais competitivo e sustentável, Eduardo Leite citou a destinação de R$ 300 milhões para estradas, o programa de privatizações e o lançamento do RS Parcerias, visando investimentos em rodovias, hidrovias e aeroportos regionais. O objetivo é a redução do custo de logística e de infraestrutura. Além disso, o governo do estado está apostando na redução da burocracia com programas como Junta Digital, Descomplica RS, Novo Código Ambiental e o RS Digital, e na redução do custo tributário, com o RS Sustentável, Receita 2030 e a reforma estrutural da máquina pública.

Reforma tributária

A agenda de ajustes, segundo o governador, vai continuar, e anunciou que pretende encaminhar à Assembleia Legislativa um pacote de projetos para reformar a estrutura tributária do estado. Segundo ele, não serão apenas medidas de redução da carga tributária, mas de reorganização de todo o sistema. Ainda como desafio, o governador mencionou a revisão das isenções fiscais. O governador agradeceu ao apoio e à confiança dos empresários de Caxias do Sul. “As reformas aprovadas na Assembleia serão de grande ajuda, mas não serão, por si só, a única solução para as contas do estado. Precisamos contar com o apoio e os investimentos da iniciativa privada e, por isso, estamos trabalhando para tornar o ambiente de negócios mais atraente no Rio Grande do Sul”, reforçou.

Retomar o desenvolvimento

Em seu discurso, o presidente da CIC Caxias, Ivanir Gasparin, cumprimentou Eduardo Leite por sua coragem e determinação em construir a aprovação do projeto Reforma RS com base no diálogo. “Certamente foi uma etapa fundamental para que possamos começar a retomar nossos objetivos comuns de crescimento, de desenvolvimento, de uma vida melhor para todos os gaúchos”, afirmou Gasparin. O dirigente, no entanto, salientou que o governo precisa trabalhar para todos os gaúchos, e não apenas para as demandas do setor público.

“Passada esta etapa, o questionamento que fazemos é se a aprovação do pacote de reformas permitirá que tenhamos atendidas, a partir de agora, as mais diferentes reivindicações, não apenas do segmento empresarial, mas de toda a comunidade caxiense e gaúcha. Se haverá dinheiro para nossas reivindicações”, abordou Gasparin. Ao final de seu pronunciamento, o presidente da CIC entregou um documento com demandas de Caxias e Região ao governador gaúcho, entre as quais a duplicação da ERS-122.

Autoridades prestigiam reunião-almoço

Várias lideranças políticas e empresariais participaram da reunião-almoço da CIC Caxias, incluindo o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ernani Polo, os secretários de Governança e Gestão Estratégica, Claudio Gastal, e Desenvolvimento Econômico e Turismo, Ruy Irigaray, e os deputados estaduais Carlos Búrigo, Elton Weber, Fran Somensi e Neri, o Carteiro. Também estavam presentes o prefeito de Caxias do Sul, Flávio Cassina, o presidente da Câmara de Vereadores, Ricardo Daneluz, e o bispo diocesano de Caxias do Sul, Dom José Gislon, além dos prefeitos de Bento Gonçalves, Farroupilha, Flores da Cunha e Nova Pádua.

Fonte: Assessoria de Imprensa da CIC - Jornalista Marta Guerra Sfreddo (MTb6267)

Outras Notícias