CSS Light Web Gallery

06/06/2018 | DESEMPENHO

Economia de Caxias do Sul acumula crescimento de 11,3% no ano

Levantamento da CIC e CDL sobre desempenho de abril foi divulgado nesta quarta-feira (6) - Foto: Candice Giazzon/CIC
Levantamento da CIC e CDL sobre desempenho de abril foi divulgado nesta quarta-feira (6) - Foto: Candice Giazzon/CIC

A economia de Caxias do Sul cresceu 11,3% de janeiro a abril deste ano.  É o que mostra a pesquisa realizada pela Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC) e Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL Caxias) e divulgada nesta quarta-feira (6). Números positivos também foram registrados no acumulado dos últimos 12 meses, quando a economia caxiense cresceu 9,8%. “Em abril de 2018 a economia retomou o patamar que teve nos melhores momentos da última década”, afirmou o diretor de Economia, Finanças e Estatística da CIC Astor Milton Schmitt.

Na comparação entre abril e março deste ano houve uma queda de 1,2% na economia local, com a indústria e o comércio registrando desempenhos negativos. Schmitt ressalta que apesar do pequeno recuo em relação a março, a comparação com abril de 2017 mostra forte recuperação de todos os segmentos. Dois itens que compõem o Índice de Desempenho Industrial (IDI/Caxias) - utilização da capacidade instalada e vendas industriais - foram negativos em abril na comparação com março, o que resultou em uma queda no índice geral de 1,5%. Nos demais itens, como horas trabalhadas, compras industriais e massa salarial, houve crescimento em abril sobre março.

Para Schmitt, o fato de as compras crescerem mais do que as vendas na comparação entre abril de 2018 e abril de 2017 significa que o nível de confiança da indústria aumentou. “Os industriais estão comprando mais, repondo seus estoques para retomar a produção”, analisou o diretor da CIC.

Comércio exterior
No comércio exterior, a pesquisa apontou queda de 14,6% no saldo da balança comercial caxiense no acumulado dos últimos 12 meses, situando-se em US$ 479 milhões. O fraco desempenho das exportações caxienses, nos últimos anos aliás, preocupa Astor Schmitt. “Estamos exportando menos do que em outros anos, e isso é preocupante”, alertou. Para ele, Caxias do Sul está perdendo espaço no mercado internacional porque perdeu competitividade. “Ficou muito caro produzir em Caxias”, ressaltou.

Empregos
No mês de abril, houve a criação de 362 postos de trabalho em abril, indicando ligeira alta de 0,2% no total de empregos formais, que hoje é de 161.971. Em 2018 foram gerados 4.024 empregos, uma variação positiva de 2,5%. Nos últimos 12 meses, o saldo é positivo em 1.657 novas vagas, o que corresponde a 1% de crescimento.  “Ainda é um nível bastante modesto de geração de empregos se lembrarmos que tínhamos 183 mil postos de trabalho em 2013 e caímos para 158 mil em dezembro de 2017. É escasso, mas pelo menos é um número positivo. Estamos empregando e não desempregando”, assinalou Schmitt.

Apesar dos números positivos em abril, os diretores da CIC e CDL manifestaram preocupação com o desempenho da economia local no mês seguinte em função dos prejuízos ocasionados com a paralisação dos caminhoneiros. De acordo com os representantes das entidades, a greve afetou todos os setores e os impactos serão sentidos nos números de maio.

Também participaram da coletiva o presidente da CIC, Ivanir Gasparin, o diretor de Economia, Finanças e Estatística da CIC Carlos Zignani, o diretor da CDL Ricardo Comandulli, o assessor de Economia e Estatística da CDL, Mosár Leandro Ness, e a assessora do Departamento de Economia, Finanças e Estatística da CIC, Nara Panazzolo.

Fonte: Assessoria de Imprensa da CIC - Jornalista Marta Guerra Sfreddo (MTb6267)

Downloads

Outras Notícias