CSS Light Web Gallery

19/06/2017 | REUNIÃO-ALMOÇO

Juarez Valduga propõe criação de polo único de turismo na Região

Presidente do Grupo Famiglia Valduga palestrou na reunião-almoço da CIC nesta segunda-feira (19) - Foto: Gilmar Gomes
Presidente do Grupo Famiglia Valduga palestrou na reunião-almoço da CIC nesta segunda-feira (19) - Foto: Gilmar Gomes

Criar uma identidade regional única, capaz de fortalecer o turismo enogastronômico e cultural da Serra Gaúcha foi o desafio lançado pelo presidente do Grupo Famiglia Valduga, Juarez Valduga, na palestra que fez na reunião-almoço da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC) nesta segunda-feira (19). “Temos que deixar de pensar individualmente, temos que nos unir, usarmos todos o mesmo chapéu”, afirmou Valduga, referindo-se com orgulho ao acessório usado pelos descendentes italianos que colonizaram a Região.

O empresário chegou a sugerir que municípios como Caxias do Sul, Bento Gonçalves, Farroupilha, Garibaldi e Carlos Barbosa criassem uma única secretaria de turismo para trabalhar o setor de forma integrada e conjunta. “Acredito que a Região tem que se juntar para criar um polo único de turismo”.  Segundo Valduga, a Região elabora o melhor espumante e suco de uva do mundo, e seu interior, além das belezas naturais, ainda conserva as raízes da cultura italiana. Esta vocação, em sua opinião, deveria ser melhor explorada no desenvolvimento do setor. Seu desejo, revelou, é ver o espumante produzido na Serra Gaúcha ganhar uma denominação própria capaz de o tornar reconhecido mundialmente. “Deveríamos criar um grande concurso nacional para desenvolver o nome próprio do nosso espumante”, acrescentou.

Ele lembrou ainda da quebra de paradigmas que deu surgimento ao Vale dos Vinhedos, em meados da década de 90, quando os empreendimentos se uniram em torno dos mesmos objetivos. “Paramos de dizer: o meu vinho é bom! E passamos a dizer: o vinho da Região é bom”, enfatizou. Uma mudança de mentalidade que representou um salto de 100 pessoas/ano, à época, para 250 mil pessoas/ano atualmente.

Juarez Valduga também falou sobre a origem, há 140 anos, do grupo familiar, hoje detentor de oito empresas. Entre elas, a Casa Valduga - a vinícola possui a maior cave de espumantes da América Latina, com capacidade para abrigar mais de seis milhões de garrafas -, a Domno Importadora, que também elabora espumantes e realiza a importação de vinhos, a Casa Madeira, responsável pela produção de sucos e produtos gourmet, a Cervejaria Leopoldina, produtora de cervejas artesanais, e a Vinotage, empresa que fabrica cosméticos à base dos ativos das uvas e vinhas. Até o final deste mês, lançará sua linha própria de chás. “Vai que dá certo”, brincou Valduga ao falar de sua vocação para criar e expandir os negócios da família. O grupo expandiu sua atuação também para fora do Brasil. Um de seus investimentos mais recentes é a implantação de uma unidade da vinícola no Chile, além de já marcar presença com seus produtos em países como Argentina e Portugal.

Fonte: Assessoria de Imprensa da CIC - Jornalista Marta Guerra Sfreddo (MTb6267)

Outras Notícias