CSS Light Web Gallery

15/03/2018 | INFRAESTRUTURA

CDUTH reúne 150 pessoas na CIC para discutir Plano Diretor

Empresários, engenheiros, representantes da UCS e de entidades sindicais participaram do encontro - Foto: Márcio Schenatto
Empresários, engenheiros, representantes da UCS e de entidades sindicais participaram do encontro - Foto: Márcio Schenatto

A Comissão de Desenvolvimento Urbano, Transporte e Habitação (CDUTH) do Legislativo caxiense promoveu, na noite de quarta-feira (14), mais uma reunião pública de discussão da revisão do Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado (PDDI)/PL 52/2017. O encontro contou com a presença de 150 pessoas no auditório da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC). Participaram da explanação empresários, engenheiros, representantes de entidades sindicais e da Universidade de Caxias do Sul (UCS). A fala inicial foi conduzida pelo presidente do grupo parlamentar, vereador Edio Elói Frizzo/PSB.

Os vereadores Edson, da Rosa/PMDB, Gustavo Toigo/PDT e Paula Ioris/PSDB, que compõem o grupo, também se fizeram presentes. Além deles, Kiko Girardi/PSD e Paulo Périco/PMDB e representante da vereadora Gladis Frizzo/PMDB acompanharam o encontro. As duas principais temáticas descritas no projeto enviado pelo Executivo e debatidas na reunião foram a redução do perímetro urbano caxiense e a conurbação, ou seja, a aproximação urbana das cidades de Caxias, Farroupilha e Flores da Cunha em razão de seu crescimento.

Em sua explicação, Frizzo se serviu dos mapas anexos ao PDDI e revelou duas correntes de pensamento acerca do desenvolvimento da cidade. De acordo com ele, algumas entidades são favoráveis ao crescimento junto aos municípios vizinhos, onde já existe a conurbação, enquanto outras projetam a extensão da cidade para a região de Santa Lúcia do Piaí, Vila Seca e Vila Oliva, onde será construído o novo aeroporto regional.

“A questão que mais inquieta essa reunião é em relação ao perímetro urbano. Para onde queremos que Caxias cresça?”, provocou o vereador. O presidente da CDUTH agradeceu à CIC pela recepção e abertura à discussão do Plano Diretor. Frizzo propôs reflexões sobre as zonas de águas de Caxias, sobretudo se ainda existe interesse do município em manter a bacia de captação da represa do Samuara com restrição de uso. “O que estamos propondo aqui, na verdade, é quase um novo Plano Diretor. Isso nos dá muito mais responsabilidade com o que estamos fazendo”, salientou.

Depois da explanação dos mapas, a palavra foi aberta aos vereadores. Gustavo Toigo/PDT enalteceu a participação das lideranças no encontro. De acordo com ele, não existe nada melhor do que construir o desenvolvimento com quem conhece. Paulo Périco/PMDB abordou a mesma linha de Frizzo, questionando para qual lado Caxias deve se expandir.

Já Edson da Rosa/PMDB elogiou a forma de trabalho do Legislativo em descentralizar a discussão do PDDI. “Devido à sua importância, só o andamento deste Plano Diretor já justifica a atual legislatura da Câmara Municipal de Caxias do Sul”.

O presidente da CIC, Ivanir Gasparin, elogiou a iniciativa da Câmara em promover a discussão sobre o Plano Diretor com os diversos segmentos da sociedade caxiense. “Os técnicos devem ser ouvidos assim como os moradores de Caxias do Sul. E temos que deixar trabalhar quem quer fazer a cidade crescer”, sublinhou.

A diretora de Infraestrutura e Política Urbana da CIC Margarete Tomazini Bender, que atuou de 1979 a 2010 exercendo funções de chefia e coordenação como engenheira civil da Prefeitura, refletiu a respeito da relevância da revisão do Plano, que acontece a cada 10 anos. “Em relação ao último Plano Diretor, de 2007, ele atendeu às necessidades da época, mas é claro que precisam ser modificados diversos aspectos”, observou.

O diretor de Economia, Finanças e Estatísticas da entidade Astor Schmitt ponderou que o zelo pelas zonas de abastecimento de água e pelas regiões de interesse turístico também deve se estender à agilidade logística dos diversos setores.

Já o reitor da Universidade de Caxias do Sul (UCS), Evaldo Kuiava, trouxe à tona uma antiga reivindicação da instituição: o cercamento do campus-sede, no bairro Petrópolis. “Destaco a importância do Plano Diretor para a comunidade. Trago aqui essa necessidade (de cercamento da Cidade Universitária), por questões de segurança”, pontuou.

Por fim, o arquiteto João Alberto Marchioro, que participou da elaboração do Plano Diretor em 1975, recordou a atenção que o poder público deveria destinar à instalação do trem regional. “Vim para polemizar. O trem deveria ser uma alternativa. O cidadão deveria pensar mais no futuro”, defendeu.

Na conclusão da reunião, Frizzo sugeriu que todas as propostas de alterações sejam encaminhadas ao Sindicato da Indústria da Construção Civil de Caxias Sul (Sinduscon), para posterior entrega à Câmara Municipal.

A reunião pública foi gravada na íntegra e será exibida pela TV Câmara Caxias (Canal 16 da NET e www.camaracaxias.rs.gov.br), na sexta-feira (16), pela manhã.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul

Outras Notícias